domingo, 7 de março de 2010

Comemorar o dia 8 de Março!

Neste dia, do ano de 1857, as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve, ocupando a fábrica, para reivindicarem a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas.

 Estas operárias que, nas suas 16 horas, recebiam menos de um terço do salário dos homens, foram fechadas na fábrica onde, entretanto, se declarara um incêndio, e cerca de 130 mulheres morreram queimadas.

Em 1910, numa conferência internacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido, em homenagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de Março como "Dia Internacional da Mulher".

De então para cá o movimento a favor da emancipação da mulher tem tomado forma, tanto em Portugal como no resto do mundo.
Hoje as mulheres continuam a receber menos pelo mesmo trabalho e são as maiores vitimas de desemprego.

Apesar de ultrapassarem o número de licenciados, as licenciadas não atingem os lugares de topo, nas empresas ou na Administração Pública.

Em Portugal nunca uma mulher foi Presidente da República.

Relativamente à Assembleia da República, em 1991 a taxa de feminização era de 8,7%, em 1995 era de 12,2%, em 1999 era de 17,4% e nas eleições de 2005, foram eleitas 49 deputadas, o que corresponde a uma taxa de feminização de 21,3%.

No que diz respeito ao poder local, verificamos que a representação das mulheres se tem mantido relativamente baixa, sendo de destacar os órgãos executivos das Câmaras Municipais, nos quais, a taxa de feminização é de apenas 6,2%.

Também nos parece relevante referir que o Tribunal Constitucional, é composto por 13 membros, sendo que destes apenas 3 são mulheres.

O Conselho de Estado, o órgão político de consulta do Presidente da República, por ele presidido, é constituído por 16 membros. Contudo, entre os seus 16 membros, não está sequer uma mulher, sendo a taxa de feminização deste órgão de 0%.

E ainda me dizem que este dia não faz sentido?

8 comentários:

Luna disse...

Faz todo o sentido sim porque ainda hoje lutamos pelos nossos direitos e já muitas se sacrificaram pelo que temos. Bonito gesto criares este post :)
(selinho para ti no meu blog)

Beijinho

Viviane disse...

Confesso que o dia das Mulheres tem de ser todos os dias! Para que, individualmente, possamos ser ainda melhores e ainda maiores:) E, antes de mais, tem de ser uma luta interior,constante, pela nossa auto-estima.

Obrigada por teres aparecido. Bj.

Shell disse...

Eu cá estou com a Viviane ! Não é porque existe um dia da Mulher que as coisas hão-de ser diferentes... É dia da Mulher sempre que uma Mulher quiser e mais nada ! :) * beijinho

Ariel disse...

Claro que faz todo o sentido...
Por acaso não sabia como é que tinha sido institucionalizado... Mais uma coisinha que já sei =)

Beijinhos

chapeu de sol amarelo disse...

desconhecia o fundamento do dia internacional da mulher mas faz sentido termos um dia diferente já que nunca nada nos foi entregue de bandeja...

MagicWoman disse...

Olá a todas!

penso que é mto positivo que esteja institucionalizado este dia, porque ele é a marca de uma luta que deve permanecer nos nossos dias: a luta pela igualdade de oportunidades.

é necessários que as oportunidades sejam iguais e que ninguem saia prejudicado só porque é homem ou só porque é mulher!

se todos os dias são da mulher... pois, são todos e são nenhuns! Portanto, sem histerismos e sem fundamentalismos, vale mesmo a pena recordar que esta é um luta importante.

kiss kiss

Girl in the Clouds disse...

Faz sentido recordar este dia, pela luta de muitas mulheres e por aquelas que ainda sofrem nos dias de hoje!!

*C*inderela disse...

Ainda há um longo caminho a percurrer para a plena igualdade.

Bjokas*